Home / Matérias Técnicas / Encunhamento: o que é e qual a sua importância para a edificação?

Encunhamento: o que é e qual a sua importância para a edificação?

O encunhamento é uma técnica crucial na construção civil, especialmente ao optar pelo sistema construtivo de estrutura de concreto armado, onde as paredes de alvenaria de tijolos ou lajotas cerâmicas são comumente utilizadas para vedação e divisão de ambientes. Essa prática desempenha um papel fundamental na conexão entre essas paredes e a estrutura, prevenindo de forma eficaz o surgimento de fissuras e patologias.

Além de assegurar a integridade estrutural, o encunhamento evita problemas estéticos, como a redução da resistência da estrutura, comprometimento da impermeabilidade da parede e surgimento de infiltrações. Ademais, é um modelo de engenharia simples, de baixo custo, e que pode ser executada por profissionais capacitados, tornando-se uma medida preventiva essencial no processo construtivo.

Quais os tipos de encunhamentos na construção civil?

Essa técnica é utilizada desde a década de 1930, após o aparecimento das primeiras estruturas de concreto armado. Inicialmente era executada utilizando blocos cerâmicos com inclinação de 450. Dessa forma, a transferência das tensões é absorvida pela argamassa de assentamento e o bloco. Com o passar do tempo e com o surgimento de materiais mais tecnológicos e as estruturas cada vez mais flexíveis, surgem técnicas que utilizam materiais mais resilientes, tais como: argamassas com elastômeros, esferas de isopor, placas de Neoprene, poliuretano expandido, entre tantos outros.

O pesquisador Fernando Henrique Sabbatini sugeriu, em uma de suas publicações, uma classificação quanto ao tipo de técnica utilizada para a realização do encunhamento, dividindo-as em: com pré-tensionamento (tijolos a 45º, argamassa expansiva), sem pré-tensionamento (argamassa de baixo módulo de elasticidade) e plástico (espuma de poliuretano).

O encunhamento com pré-tensionamento busca fixar a alvenaria a estrutura ou propiciar o contraventamento dela, enquanto o sem pré-tensionamento é mais direcionado para estruturas mais deformáveis, tendo menor probabilidade de apresentar fissuras e sua a fixação é garantida pela aderência inicial da argamassa e deformação lenta da estrutura. Por fim, o encunhamento plástico é mais adequado para estruturas muito deformáveis e paredes mais rígidas.

Materiais utilizados no encunhamento

A depender do tipo de estrutura a ser erguida, podemos fazer a escolha de diferentes tipos de materiais para o encunhamento de alvenarias em edificações, incluindo:

Tijolos a 45°: são tijolos cerâmicos colocados na diagonal, de modo a absorver as tensões da estrutura.
Argamassa expansiva: é uma argamassa que se expande após a aplicação, o que ajuda a fixar a alvenaria à estrutura.
Poliuretano expandido: é um material flexível que se adapta às deformações da estrutura.
Esferas de isopor: são esferas de isopor que são inseridas entre a alvenaria e a estrutura.
Placas de Neoprene: são placas de Neoprene que são inseridas entre a alvenaria e a estrutura.

Qual a importância do encunhamento na construção civil?

As alvenarias podem sofrer as ações advindas das estruturas e, se não forem bem distribuídas, podem gerar problemas até mesmo antes do término da construção. Assim, a principal função do encunhamento é distribuir e absorver as cargas sobre a alvenaria, além de, é claro, promover o fechamento da última fiada. Quando mal executadas, a região poderá apresentar fissuras antes mesmo do fim da obra, gerando problemas para a qualidade da construtora.

Acontece que, com a aceleração do crescimento imobiliário, houve um aumento significativo no número de edifícios, fazendo com que o tempo de execução seja reduzido drasticamente em busca de atender ao mercado. Redução essa que, muitas vezes, é resultado da não obediência das normas que ditam o tempo mínimo de execução, como, por exemplo, a desforma. Por causa disso, tem ocorrido cada vez mais manifestações patológicas nas ligações da estrutura com a alvenaria, levando à necessidade de aplicação de elementos mitigadores.

Vale apontar que, segundo alguns estudos, esses problemas têm gerado altos custos para as construtoras com crescimento no acionamento das garantias, custos esses que não se encontram no orçamento inicial, acarretando num estouro de orçamento.

Quais as melhores práticas para o encunhamento na construção civil?

Para o local de encontro das estruturas com a alvenaria, o ideal é executar esse encunhamento com uma argamassa flexível, expansiva, sendo que a melhor maneira de executá-la é fazendo uso de uma bisnaga, assim fica garantida uma camada mais uniforme da massa. Outras técnicas que podem ser seguidas são:

Respeitar um tempo mínimo de 14 dias entre o término da alvenaria e seu encunhamento e, se for possível, retardar ao máximo o seu encunhamento, permitindo mais tempo de deformação da estrutura;
Executar o encunhamento de cima para baixo, assim, ao chegar no primeiro pavimento, toda carga de apoio já está atuando e foi sendo absorvida gradualmente. Caso não seja possível, optar por alternar entre os pavimentos.

Por se tratar de técnicas simples, fica evidente que são práticas bem mais em conta do que ter que fazer consertos das patologias que surgem, tornando-se imprescindível que as construtoras se atentem cada vez mais para a qualidade de sua execução.

Normas técnicas para o encunhamento

Indicamos como leitura complementar a este texto as seguintes normas:

NBR 8545 – sobre condições exigíveis para execução e fiscalização de alvenaria sem função estrutural de componentes cerâmicos
NBR17505 – requisitos mínimos para a execução de alvenaria de blocos cerâmicos que fazem parte da estrutura da edificação.
NBR 15575-6:2019 – sobre edificações habitacionais, desempenho (parte 6: alvenaria estrutural).
NBR 6118 – projeto de estruturas de concreto (com um capítulo específico sobre o encunhamento).
NBR 10833 – sobre requisitos específicos para o encunhamento de alvenaria estrutural.
NBR 15575-6 – sobre requisitos de desempenho para alvenarias estruturais, incluindo os requisitos para o encunhamento.

 
Fonte: Site Engenharia 360